segunda-feira, 21 de Abril de 2014

Salada de cuscuz e favas frescas / Couscous and fresh fava beans salad


As primeiras favas do ano na minha cozinha. Optei por fazer uma salada com cuscuz, cebola roxa e hortelã picada, que acompanhou na perfeição um entrecosto de borrego assado no forno. Uma opção leve e fresca e que também pode servir como prato principal. Enfim, chegou a primavera!


The first fava beans of the year in my kitchen. I chose to make a salad with couscous, red onion and chopped mint, which was the perfect side dish for some lamb ribs roasted in the oven. It is a light and fresh option that can also serve as a main dish. Finally, spring has arrived!




Salada de cuscuz e favas frescas
Serve 4

1 chávena de cuscuz
1 chávena de favas frescas, descascadas
1 cebola roxa pequena, cortada em tiras finas
2 dentes de alho, esmagados
Folhas de hortelã a gosto, picadas
Azeite
Sal e pimenta preta a gosto

Coloque o cuscuz numa tigela e tempere com 2 colheres de chá de azeite, sal e pimenta a gosto. Cubra com 1 chávena de água a ferver, tape e deixe repousar. Quando o cuscuz absorver toda a água mexa com um garfo para soltar os grãos.

Retire as favas das vagens e coza-as em água a ferver durante 2 minutos. Deixe arrefecer e retire a pele exterior. Numa frigideira, coloque 1 colher de sopa de azeite e os dentes de alho esmagados. Deixe alourar. Junte as favas, tempere com sal e deixe cozinhar por 3 a 4 minutos.

Numa travessa, disponha o cuscuz, as favas, a cebola laminada e a hortelã picada. Sirva.

***

Couscous and fresh fava beans salad 
Serves 4 

1 cup of couscous 
1 cup fresh fava beans, peeled 
1 small red onion, thinly sliced 
2 garlic cloves, crushed 
Mint leafs to taste, chopped 
Olive oil
Salt and black pepper to taste

Place the couscous in a bowl and season with 2 teaspoons of olive oil, salt and black pepper to taste. Pour 1 cup of boiling water, cover and let it rest. Once the couscous absorbs all the water stir with a fork to separate the grains. 

Remove the fava beans from the pods and cook in boiling water for 2 minutes. Let them cool and remove the outer peel. In a frying pan put 1 tablespoon of olive oil and the crushed garlic cloves. Let it fry a little and add the fava beans, season with salt and cook for 3 to 4 minutes. 

In a serving plate, place the couscous, the fava beans, sliced onion and chopped mint. Serve.

quinta-feira, 17 de Abril de 2014

Skrei da Noruega com brás de alho francês / Norwegian Skrei with leek "brás"



Skrei é bacalhau fresco, mas nem todo o bacalhau fresco é Skrei. Este é o nome dado ao bacalhau que vive nas águas do mar de Barents e que é capturado na costa da Noruega quando da migração para desovar, o que acontece quando o peixe tem cerca de 5 anos. A migração ocorre nos meses de Inverno e é por isso que o Skrei apenas está disponível para o consumidor entre fevereiro e abril. O nome Skrei vem de uma antiga palavra nórdica que significa precisamente “seguir em frente, migrar”. A indústria da pesca de Skrei é uma das mais regulamentadas do mundo, garantindo a sua sustentabilidade. 

Em muitos países europeus, o Skrei é considerado uma iguaria. A sua carne é firme, branca e bastante delicada. Em Portugal, o consumo de bacalhau fresco não é ainda usual mas já é possível encontrar Skrei na ementa de alguns restaurantes, bem como à venda em mercados e supermercados. Esta receita pega na receita tradicional do bacalhau à brás e adapta-a à delicadeza do Skrei.


Skrei is cod but not all cod is skrei. This is the name given to cod that lives in the waters of the Barents Sea and is captured on the coast of Norway when migrating to spawn, which happens when the fish is about 5 years old. Migration occurs in the winter months and this is why Skrei is only available to consumers between February and April. The name Skrei comes from an old Norse word meaning precisely "moving on, migrate". The Skrei fishing industry is one of the most regulated in the world, ensuring its sustainability.

In many European countries Skrei is considered a delicacy. Its flesh is firm, white and rather delicate. In Portugal, the consumption of fresh cod is not usual but you can already find skrei on the menu of some restaurants as well as for sale in markets and supermarkets. This recipe takes a Portuguese traditional cod recipe, “bacalhau à bras”, which uses dry and salted cod, and adapts it to the delicacy of Skrei. In the traditional recipe, the dry cod is first desalted in cold water and then baked and shredded. Then it is combined with olive oil, sliced onion, very thin French fries and whipped eggs (the "brás").




Skrei da Noruega com brás de alho francês
Serve 4

4 lombos de Skrei da Noruega
900 g batata, cortada em palitos muito finos
200 g alho francês, a parte branca, cortado em rodelas finas
4 ovos
150 ml natas para culinária
Óleo para fritar
Azeite
Sal e pimenta a gosto

Tempere os lombos de Skrei com sal e pimenta e reserve.

Frite as batatas, cortadas em palitos finos, em óleo quente. Retire e deixe secar em cima de papel de cozinha.

Num tacho, aqueça duas colheres de sopa de azeite e salteie o alho francês até que este amoleça. Retire do lume e junte as batatas fritas. Bata os ovos com as natas e tempere com sal e pimenta. Junte ao alho francês e batatas e envolva bem. Leve de novo ao lume para cozinhar os ovos, tendo o cuidado de não deixar secar. O brás deve ficar cremoso.

Numa frigideira, aqueça duas colheres de sopa de azeite. Junte os lombos de Skrei e deixe cozinhar durante 2 a 3 minutos. Vire e cozinhe por mais 1 a 2 minutos, dependendo da altura do peixe.

Sirva o peixe de imediato, acompanhado pelo brás de alho francês.

***

Norwegian Skrei with leek brás 
Serves 4

4 Skrei fillets
900 g potatoes, cut into very thin allumettes
200 g leeks, white part, cut into thin slices
4 eggs
150 ml single cream
Oil for frying
Olive oil
Salt and pepper to taste

Season the Skrei fillets with salt and pepper and set aside.

Fry the potatoes in hot oil. Remove and let them dry on kitchen paper.

In a pan, heat two tablespoons of olive oil and sauté the leek until it softens. Remove from heat and add the fries. Whisk the eggs with the cream and season with salt and pepper. Add to the leeks and potatoes and mix well. Take it to low-medium heat to cook the eggs, taking care not to let it dry. The brás must be creamy.

In a skillet, heat two tablespoons of olive oil. Add the fish fillets and cook for 2-3 minutes. Turn and cook for another 1-2 minutes, depending on the thickness of the fillets.

Serve the fish immediately accompanied by leek brás.

segunda-feira, 14 de Abril de 2014

Bolo de curgete e nozes / Zucchini and walnut cake



Se a vida te der limões, faz limonada. Se te der curgetes, faz um bolo.

Dei por mim com algumas curgetes para gastar e logo me lembrei de um bolo que comi há cerca de dois anos, numa casa de turismo rural no Alentejo. Quando a dona da casa me falou num bolo feito com curgete achei estranho, mas depois de provar dissipou-se a dúvida, era mesmo bom! Infelizmente não fiquei com a receita, pelo que tive que ir procurar no Google por uma alternativa aceitável. Ao pesquisar, uma das primeiras entradas que me apareceu foi para um blogue de referência em Portugal e uma fonte de inspiração, Cinco Quartos de Laranja. Adaptei um pouco a receita à memória que tinha do bolo que provei no Alentejo e o resultado foi este. Um bolo delicioso, pouco doce e húmido, como eu gosto.


If life gives you lemons, make lemonade. If it gives you zucchini, make a cake.

I found myself with a few zucchinis to spend and I remembered a cake I ate about two years ago in a rural guesthouse in Alentejo. When the landlady told me about a cake made with zucchini I found it strange but after I tasted it all the doubts disappeared since it was really good! Unfortunately I did not get the recipe so this time I needed to go to Google to find a suitable replacement. When searching, one of the first entries that came to me was to a blog which is a reference in Portugal and a source of inspiration, Five Quarters of the Orange. I adapted the recipe a bit to fit the memory I have of the cake I ate in Alentejo and this was the result. A delicious, slightly sweet and moistly cake, the way I like.







Bolo de curgete e nozes

3 ovos
2 chávenas de açúcar
1/2 chávena de óleo
1 colher de chá de essência de baunilha
2 chávenas de curgete ralada com a pele
2 colheres de chá de bicarbonato de sódio
2 chávenas de farinha com fermento
2 colheres de chá de erva-doce em grão
100 g de nozes picadas grosseiramente
Raspa de um limão
Açúcar em pó para polvilhar (opcional)

Pré-aquecer o forno a 180º C. Untar uma forma com manteiga e polvilhar com farinha.

Bater bem os ovos com o açúcar e, em seguida, juntar o óleo e a essência de baunilha. Mexer bem. Adicionar a curgete ralada, o bicarbonato de sódio, a erva-doce e a farinha e envolver bem para incorporar a farinha. Juntar as nozes picadas e a raspa de limão.

Colocar o preparado na forma e levar a cozer no forno pré-aquecido durante 50 minutos. Os fornos não são todos iguais, pelo que convém ir verificando a cozedura a partir dos 40 minutos.

Deixar arrefecer e desenformar. Polvilhar com açúcar em pó (opcional).

Para ralar a curgete pode usar-se a picadora. A curgete tem muita água e tem que se ter cuidado para não acabar numa pasta. Colocar poucos pedaços pequenos de curgete na picadora de cada vez e pulsar 3 a 4 vezes. Verificar se está picada e, se necessário, pulsar novamente e verificar. Repetir até estar com a dimensão desejada.

***

Zucchini and walnut cake

3 eggs
2 cups sugar
1/2 cup vegetable oil
1 tsp vanilla extract
2 cups grated zucchini with the peel on
2 tsp of baking soda
2 cups self raising flour
2 tsp fennel seeds
100 g walnuts coarsely chopped
Zest of one lemon
Powdered sugar (optional)

Preheat the oven to 180 º C. Grease a cake pan with butter and sprinkle with flour.

Combine well the eggs with the sugar and then add the oil and vanilla extract. Stir well. Add the grated zucchini, baking soda, fennel seeds and flour and combine well to incorporate the flour. Add the chopped nuts and lemon zest.

Pour the mixture into the cake pan and bake in the preheated oven for 50 minutes. The ovens are not all alike, so you should start checking after 40 minutes.

Let it cool and then take the cake off the pan. Sprinkle with powdered sugar (optional).

For grating the zucchini you can use a food chopper. The zucchini has a lot of water and you need to be careful not to end up with a paste. Place a few small pieces of zucchini in the food chopper at a time and pulse 3 to 4 times. Check if it is chopped and, if necessary, pulse again and check. Repeat until you get the right size.

quarta-feira, 9 de Abril de 2014

Rigatoni de salsicha e espinafres al forno / Sausage and spinach rigatoni al forno



Nos dias de semana raramente chego a casa com tempo e paciência para cozinhar alguma coisa mais elaborada, muito menos para fotografar e publicar a receita no blogue. A grande maioria das experiências culinárias que vou publicando por aqui é feita durante o fim de semana. Esta receita é a exceção que confirma a regra, mas não foi de propósito. 

Um prato de massa é sempre uma boa opção para estes jantares, que queremos manter simples e rápidos, e que é normalmente apreciado por todos – já em tempos partilhei convosco aquele que é o favorito lá de casa e ao qual as minhas filhas adolescentes chamam pomposamente “massa à moda da mãe”. Um pacote de massa fresca ou seca, há de todos os tamanhos e feitios para agradar a todos os gostos, os ingredientes que tiverem no frigorífico ou na despensa, um frasco de molho (nem sempre há tempo para fazer um de raiz e, em caso de necessidade, pode salvar o vosso dia), um pouco de queijo et voilà, ou devo dizer bravo!, o jantar pronto em menos de nada e uma família feliz e agradecida.

Desta vez peguei num molho de espinafres acabadinho de chegar no cabaz, umas salsichas frescas de peru que tinham sobrado de uma outra receita e juntei tudo com uma das minhas massas preferidas, rigatoni. 
O resultado final ficou tão bom e bonito que fui a correr buscar a máquina fotográfica, deixando uma família esfomeada pacientemente à espera :) mas valeu a pena! Espero que experimentem e gostem.

Bom apetite!


On weekdays I rarely get home with time and patience to cook something more elaborate, much less to photograph it and publish the recipe on the blog. Most of the culinary experiences that I publish here are done during the weekend. This recipe is the exception that confirms the rule but it was not on purpose.

A pasta dish is always a good option for these weeknight meals we want to keep simple and quick and that is usually enjoyed by all. Some time ago I’ve already shared with you the recipe that is a favorite in my home and that my teenage daughters call pompously "pasta a la mother”. A package of dry or fresh pasta, there is one in every shape and size for pleasing everyone’s taste, the ingredients you have in the fridge or in the pantry, a jar of sauce (there is not always time to make one from scratch and, in case of need, it can save your day), some cheese et voilà, or should I say bravo!, dinner ready in no time and a happy and grateful family.

This time I took a bunch of fresh spinach that came in the farmer’s basket, some fresh turkey sausages that were left from another recipe and combined with one of my favorite pasta, rigatoni. 
The end result was so good and it looked so nice that I ran to get camera, leaving a hungry family waiting patiently :) but it was worth it! I hope you try and enjoy it.

Bon appetit!





Rigatoni de salsicha e espinafres al forno
Serve 4

400 g massa rigatoni (ou outra variedade grande)
8 salsichas frescas de peru
300 g molho tomate (usei de compra)
1 molho pequeno de espinafres
100 g queijo Mozarella ralado
Sal e pimenta preta a gosto

Cozer a massa, de acordo com as instruções do pacote, em água a ferver temperada com sal. Normalmente retiro 2 minutos ao tempo que vem indicado na embalagem quando a massa ainda vai ao forno envolvida em molho, porque vai cozer um pouco mais e eu gosto dela al dente.

Pré-aquecer o forno a 200ºC.

Retirar a pele das salsichas, cortar em pedaços pequenos e cozinhar numa frigideira antiaderente até que se apresentem dourados por igual. Retirar e reservar. 

Na mesma frigideira, colocar as folhas de espinafre e cozinhar durante 1 minuto, aproveitando a gordura que as salsichas libertaram. Juntar o molho de tomate e as salsichas. Temperar com sal e pimenta e deixar cozinhar durante mais 3 minutos.

Num prato de forno, colocar a massa cozida e escorrida e polvilhar com metade do queijo Mozarella. Juntar as salsichas com o molho de tomate e espinafres e envolver ligeiramente. Por cima, dispor o resto do queijo Mozarella. Gratinar no forno pré-aquecido até o queijo derreter.


***

Sausage and spinach rigatoni al forno
Serves 4

400g pasta rigatoni (or other large variety)
8 fresh turkey sausages
300 g tomato sauce (I used a bought jar)
1 small bunch of spinach
100 g grated mozzarella
Salt and black pepper to taste

Cook the pasta according to the package instructions in boiling water seasoned with salt. I normally take 2 minutes out from the cooking time indicated on the package when the pasta still goes in the oven wrapped in sauce, since it will cook a little more and I like it al dente.

Preheat the oven to 200 º C.

Remove the skin from the sausages, cut into small pieces and cook in a nonstick skillet until evenly golden. Remove and reserve.

In the same skillet place the spinach leaves and cook for 1 minute in the fat released by the sausages. Add the tomato sauce and sausages, season with salt and pepper and cook for 3 more minutes.

In an oven dish, place the cooked and drained pasta and sprinkle with half of the mozzarella cheese. Add the sausages with the tomato sauce and spinach and mix slightly. On top put the rest of the mozzarella cheese. Take to the preheated oven until the cheese melts.

sábado, 5 de Abril de 2014

Empada de alheira e couve / Alheira and cabbage pot pie



Estamos no início de abril e ainda não se vislumbra o início do tempo mais quente e soalheiro. Olhamos para o céu e este continua carrancudo e a despejar litros de água. Não temos outro remédio a não ser continuar agarrados aos agasalhos do inverno, pôr as mãos nos bolsos para aquecer e desejar ansiosamente que a primavera possa acontecer de um dia para o outro.



We are at the beginning of April and there is no sign of warmer and sunny weather. We look to the sky above and it continues frowning and pouring liters of water. We have no other choice but to continue clinging to winter coats, keeping our hands in our pockets to warm up and wishing eagerly that spring may happen from one day to another. 








Empada de alheira e couve
Serve 2

Massa folhada (usei 2 embalagens de massa folhada fresca de compra para fazer a base e a tampa da empada, tendo sobrado ainda alguma massa)
1 alheira
250 g de couve coração, cortada em tiras finas
150 g alho francês, cortado em rodelas finas
0,5 lt de caldo de galinha
1 colher de sopa de azeite
Sal e pimenta preta a gosto
1 ovo batido para pincelar

Refogar o alho francês no azeite quente até ficar macio. Juntar o caldo de galinha e quando levantar fervura juntar a couve cortada. Temperar com sal e pimenta preta a gosto (atenção que o caldo de galinha já está temperado). Deixar cozer em lume médio, com o tacho destapado, durante 25 a 30 minutos, até que o caldo reduza e a couve esteja macia. Se necessário, coar algum excesso de líquido e juntar a alheira, sem pele e em pedaços. Misturar bem com a couve cozida e reservar.

Pré aquecer o forno a 200ºC.
Forrar uma forma com uma das bases de massa folhada (sem retirar o papel vegetal) e cortar o eventual excesso, deixando uma pequena margem. Colocar a mistura de couve e alheira por cima da massa. Cobrir com a segunda base de massa folhada e igualmente retirar algum excesso de massa. Unir as bordas da massa com as pontas dos dedos. Pincelar a superfície da tarte com o ovo batido.

Levar a cozer no forno pré aquecido durante 30 minutos, até a massa estar cozinhada e dourada.

Comer ainda quente ou à temperatura ambiente, acompanhada por arroz branco e uma salada verde.

***

Alheira and cabbage pot pie
Serves 2

Puff pastry (I used 2 packages of bought fresh puff pastry to make the base and lid of the pie, with some pastry leftovers)
1 alheira sausage
250 g green cabbage, cut thinly
150 g leek, cut into thin slices
0.5 lt chicken broth
1 tablespoon olive oil
Salt and black pepper to taste
1 whipped egg for brushing

In a pot heat the olive oil and sauté the leek until tender. Add the chicken broth and bring to a boil, then adding the cabbage. Season with salt and black pepper to taste (note that the chicken broth is already seasoned). Cook over medium heat with the pot uncovered, for 25 to 30 minutes, until the broth reduces and the cabbage is tender. If necessary, strain any excess liquid and add the alheira, with the skin off and cut into pieces. Combine with the cooked cabbage and reserve.

Preheat the oven to 200 º C.
Line a pie dish with one of the puff pastry sheets (keep the parchment paper) and cut off any excess, leaving a small margin. Pour the cabbage and alheira mixture over the dough. Cover with the second puff pastry sheet, also trimming some of the excess. Join the edges with your fingertips. Brush the surface of the pie with the beaten egg.

Bake in the preheated oven for 30 minutes, until the pastry is cooked and golden.

Eat still warm or at room temperature, accompanied with some white rice and a green salad.